Crítica: American Pie – O Reencontro

Faz 13 anos que Jim, Kevin, Oz e Finch realizaram um pacto para perder a virgindade na tão sonhada festa de formatura do colegial, o que rendeu uma das melhores comédias da década de 1990, “American Pie: A Primeira vez é Inesquecível”. Exemplar do subgênero da comédia do embaraço, o humor escatológico gravitava mormente ao redor dos esforços do protagonista Jim e as danações de Stifler, esforçando-se em questionar e criticar os dogmas sexuais da conservadora sociedade norte-americana que transformava a conjunção carnal em um insuperável tabu para os mais jovens. Mas, a intenção da narrativa jamais era ofender, o que é notável em metade das outras comédias politicamente incorretas, e a grosseira de alguns momentos mascarava-se na ingenuidade e imaturidade das ações do protagonista.