Comic Con 2013: Painel The Walking Dead - 10 Anos



Texto:Érico Assis do site do Omelete
O horário oficial do painel The Walking Dead 10th Anniversary na Comic-Con 2013 ainda nem tinha começado, as pessoas ainda estavam entrando, quando Robert Kirkman chegou no microfone e começou a fazer piadas. "Como vocês todos sabem, o Rick morreu na última edição. Ah, opa, essa ainda não saiu? Putz..." Foi o tom de todo o painel, em que o criador da HQ e hoje seriado de TV mostrou o seu lado comediante.
O que foi ótimo, considerando o auditório de mil lugares lotado e a fila para entrar, que deu várias voltas pelo centro de convenções (quem chegou na fila uma hora antes do horário foi avisado que a lotação estava esgotada). Além disso, Kirkman foi rápido na sua apresentação inicial e deixou a maior parte do tempo disponível para perguntas dos fãs.
(Alguns spoilers à frente para quem acompanha Os Mortos-Vivos nas edições brasileiras.)
Da apresentação inicial, nada de grandes novidades. "All Out War", saga que começa em Walking Dead #115 (outubro), vai durar 14 edições e deixar a série quinzenal até maio de 2014. O autor mostrou capas das primeiras edições da saga, na qual as diferentes facções atuais da HQ - os grupos de Rick Grimes, Jesus, Negan e Ezekiel - entram em guerra. "Eu queria muito chegar num momento da série em que a civilização está sendo reconstruída", comentou Kirkman.
Fora isso, The Walking Dead #1 será relançada em outubro, mês oficial do 10º aniversário, desta vez toda colorida pelo premiado colorista Dave Stewart. Kirkman brincou que, quando a série completar 20 anos, vai lançar The Walking Dead  #2 colorida. Brincadeiras à parte, informou que ainda não há planos de colorir o restante da série.
As novidades, que não eram novidades, foram só essas. "Vai ser tudo muito massa. E é isso. Perguntas?", soltou o quadrinista.
Um fã quis saber se o personagem Dale ganharia edição especial, quem sabe até livro, para contar sua história pregressa. Kirkman foi puro sarcasmo: "Ninguém compraria um livro do Dale. Nem se fosse um gibi especial". O fã: "Sim, mas tem especial da Michonne, do Governador, do Tyreese. Não podia contar como era a vida do Dale antes da série começar?". Kirkman: "A vida do Dale era um saco". O pobre leitor, que estava com o chapeuzinho de pescador de Dale, saiu fingindo que chorava.
Perguntas interessantes sobre o futuro da série: vão aparecer mais crianças, além de Carl e Sophia, quem sabe até um nêmesis para Carl? "Sim", disse Kirkman, explicando que o universo de personagens vai crescer. De outro fã: os zumbis vão evoluir? Kirkman: "[George] Romero fez isso nos filmes, mas eu não vou. Mas eles vão mudar de aparência aos poucos por causa do apodrecimento. E só".
O autor reforçou que sua participação nos roteiros do seriado não afeta os roteiros da HQ. "O caminho que Rick tomou no seriado, por exemplo, é bem diferente do que ele tomou na HQ, então é fácil manter a divisão", explicou. "O mais divertido é ficar vendo a sala de roteiristas discutindo coisas que eu escrevi quando tinha 26, 27 anos, e aí eu penso 'mmm, é mesmo, eu não devia ter feito desse jeito'." Esse é um dos motivos das várias diferenças entre HQ e seriado, segundo o criador.
"Quantas vezes você teve que se segurar para escrever uma história onde manda tudo às favas, mata o Rick, destrói tudo?", perguntou outro fã. Kirkman disse que não foram muitas, mas que às vezes gosta de tomar rumos imprevisíveis. Tinha vários planos para o personagem Abraham, por exemplo, mas preferiu matá-lo de repente só de desafio para si mesmo enquanto roteirista. "Gosto das coisas assim. Reflete a vida. Ninguém morre quando é conveniente."
Nesse mesmo sentido, outro fã perguntou se Kirkman não tinha medo de executar grandes reviravoltas no universo da série, como matar personagens queridos ou encerrar tramas de forma abrupta. "Eu não tenho medo de NADA", respondeu o quadrinista comediante, provocando risos na plateia. "Fora fantasmas. E pássaros." Fonte
Comente na rede usando a tag #TWD